Uma mãe entra em trabalho de parto prematuro
E depois de muito tentar
Não consegue “segurar” o bebê.
O tempo de Deus.
O tempo que Ele determinou
Para essa mãe, esse filho, esse pai…
Curto demais
Rápido demais.
O suficiente para fazer doer
Por uma despedida precoce
Essa despedida, aliás,
Jamais seria em tempo.
Não se prepara uma mãe
Para perder um filho.
Não há cura pra essa dor.
Deve haver acolhimento,
Colo,
Amor.
O que houve ali,
Independente do tempo vivido,
gerou amor. Concretizou o amor.
E se a morte atropela a vida,
Os sonhos perdem a cor, o brilho.
Quem estiver por perto, seja luz, seja paz… A saudade do não vivido dói.
E o tempo, esse que leva e traz, esse que tira e que dá, continua nos ensinando… Dias de dor. Dias de paz.
Encontros de dor. Encontros de amor. 💔 .

Karla Ceravolo – Organização De Umbiguinho a Umbigão

#LutoGestacional #Psico

Facebook
Twitter
LinkedIn

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Joguei um dicionário fora

No nosso apartamento existe um cômodo apelidado “ninho”, onde só entram meus gatos e eu. Uma escrivaninha do século XIX, uma pequena subdivisão abarrotada de

Leia mais »
Solidão, luto

Luto e solidão

Quero ficar sozinho! Não quero falar com ninguém! Me deixe em paz! São falas que, por vezes, você vai ouvir! Autores importantes como Soares e

Leia mais »